O Brega e suas gerações!

A história do Brega é maior do que se imagina

Sua Música

Quarta, 17/11/21 às 16:01

COMPARTILHE:

Brega. A palavra por si só tem o seu significado, mas e o ritmo Brega? Você sabia que ele é um estilo que já ultrapassa gerações? Nesta matéria nós resolvemos relembrar a história do estilo musical que faz sucesso em várias partes do país, mas que tem suas raízes e sucesso fincados em Recife, capital de Pernambuco.

- Mais notícias

Brega, Brega Funk, Passinho, Batidão, Romântico, são todos estilos dentro de um grande universo que é o Brega e que não começou assim tão cedo, já vem de décadas e décadas, tendo representantes muito antigos e novos nomes que surgem todos os anos.

Mas então vamos para a principal pergunta: Como e onde surgiu o ritmo Brega? Antes do Brega ser um ritmo ele era, obviamente, apenas um adjetivo. Ainda não existia o ritmo Brega, mas já existiam as músicas consideradas bregas. De acordo com o dicionário, brega é tudo aquilo que não tem muito refinamento, que é de mau gosto, que é cafona ou tem uma qualidade inferior, e era justamente nesse sentido de "cafona" que muitos falavam sobre alguns estilos de músicas antigas que eram mais puxadas para o romantismo, além de terem letras românticas, as músicas também não tinham arranjos muito elaborados. Tudo isso já acontecia a partir da década de 50.

Nós falamos que Recife-PE é um dos principais celeiros para artistas do Brega e isso acontece até os dias de hoje, tendo alguns dos principais pioneiros no que viria a ser o ritmo musical. Nos anos 50 um dos grandes nomes da música brega era Cauby Peixoto, famoso em todo o país, mas em Recife outro nome também vinha fazendo sucesso e se tornava um dos grandes artistas a dar início a um movimento mesmo sem saber disso, estamos falando de Orlando Dias.

Orlando Dias era recifense e nos primeiros momentos os pernambucanos adotaram este tipo de música em seu cotidiano, seja com os principais nomes da música brega surgidos na cidade, quanto outros grandes nomes de outros estados que nunca chegaram a ser chamados de cantores de Brega, como Roberto Carlos, por exemplo

E sim, Roberto Carlos já cantou muito daquilo que podemos chamar de Brega hoje em dia. Veja abaixo!

Falamos deste início e do que seria a música brega, mas quando é que o Brega foi se tornando um verdadeiro ritmo? Com o passar do tempo a MPB começava a ter vários gêneros sendo criados a partir dela, pois o que era a MPB se afastava cada vez mais das camadas mais populares, que ouviam Samba, Sertanejo e outros estilos musicais.

Nos anos 80 a imprensa brasileira começou a usar o termo brega de forma pejorativa, para falar sobre música de baixa qualidade, de mau gosto e além de artistas como Reginaldo Rossi, alguns outros nomes muito conhecidos eram taxados desta forma, nomes como Amado Batista, Wando e vários outros. Durante toda a década, o brega não tinha um conceito definido e muitos artistas, até mesmo de outros ritmos, eram definidos assim. Até mesmo músicas de Tim Maia, de artistas do Axé e outros ritmos foram chamados de brega.

Já nos anos 90 isso começou a mudar e muitos artistas começaram a se divulgar como artistas de Brega, como o próprio Reginaldo Rossi que se proclamou o Rei do Brega e até seus últimos dias foi tratado assim pelos fãs.

Passando alguns anos no tempo, o Brega para o restante do Brasil sempre teve a definição de música brega, mas em Recife-PE ele sempre foi um ritmo consolidado. Nos começo dos anos 2000 surgiu aquilo que para o Brega é exatamente o mesmo que o Forró Eletrônico é para o Forró. Um Brega romântico, mas modernizado, com letras que certas vezes eram até dramáticas.

Este Brega surgiu justamente nas camadas mais populares da cidade, vindo das comunidades e periferias recifenses e muitas alcançaram um grande sucesso na região. Até hoje algumas músicas que despontam nesse Brega Romântico acabam sendo regravadas por outros grandes artistas nacionais.

Esse Brega Romântico foi o que dominou o estilo nos anos seguintes, mas em 2008 houve uma certa alteração nele, com a criação do Brega Funk, que como o nome diz, mistura o Brega com o Funk do Sudeste, criando um novo estilo musical que trouxe uma outra onda de artistas vindos da periferia. Foi a época do surgimento dos MCs de Brega.

O Brega Funk tinha uma batida misturada e suas letras geralmente falavam sobre ostentação e mulheres, assim como aconteceu com o Funk carioca, por exemplo.

Por anos o Brega Funk seguiu assim, ao lado do Brega Romântico, mas em um certo momento, vimos uma nova mudança e desta vez ela praticamente revolucionou o ritmo, principalmente por ter vindo em uma época onde a internet tem uma força muito maior.

Primeiro nós vimos MC Loma e as Gêmeas Lacração fazendo o Brega Funk tomar outra proporção ao lançarem um clipe caseiro e divertido, que ganhou o Brasil e fez até mesmo a funkeira Anitta divulgar a música, que recebeu o título de Música do Carnaval.  A partir desse momento, o Brega ficou ainda mais popular em todo o Brasil.

Ainda em 2018 nós vimos o Batidão surgir com força em cidades como João Pessoa-PB e Recife-PE. Alguns nomes que chegaram fazendo bastante sucesso foram Aldair Playboy, MC Bruninho e Dodô Pressão. Alguns deles já cantavam o Brega Funk "original" e começaram a se aventurar pelo Batidão.

Além da batida diferente, o Batidão, geralmente, também tem uma letra bem mais puxada para o lado romântico. Duas das músicas responsáveis por estourar o estilo em todo o Brasil foram Jogo do amor, de MC Bruninho e Amor falso, de Aldair Playboy.

E o Passinho? O Passinho, assim como o Piseiro para o Forró, é uma dança que acabou se transformando no nome do próprio estilo dentro do Brega Funk. Inclusive, também como o Piseiro, foram as danças que o fizeram ficar cada vez mais popular através da internet. Um fato curioso é que o Passinho ficou tão popular que acabou sendo utilizado por muitas bandas de Funk do Sudeste, vale lembrar que o começo do Brega Funk foi justamente com os artistas nordestinos trazendo o ritmo da outra região.

E qual a diferença do Passinho para os outros tipos de Brega Funk? É principalmente a batida característica que qualquer pessoa consegue identificar só de ouvir um pouco. Sobre as letras? Pode ser feita com basicamente qualquer tema que você imaginar.

E como está o Brega hoje em dia? Todos os estilos acima coexistem, uns mais fortes do que outros, alguns pouco tocados, outro sendo muito escutados. Recentemente o Brega Romântico voltou a viver um bom momento com novos artistas, mas também nomes consagrados dentro da região como Priscila Senna e Raphaella Santos.

Clique aqui para mais notícias do mundo da música

Tags: Brega